Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Não Me Toque Que Me (Des)Afina!

  

Reconheço que sou um bocadinho comichosa com algumas coisas. Sou assim desde miúda e por mais que tente moderar estas “comichões”, existem algumas que não tenho conseguido… mesmo!

 

E uma dessas “comichões” irrita-me solenemente, faz-me chegar aos píncaros dos meus nervos, do meu stress, ou seja lá o que for!

 

Sabem aquelas pessoas que quando estão a falar connosco, nos estão sistematicamente a tocar nalguma parte do corpo, geralmente no braço? Ai que neeeervos!

Desculpem-me mas ainda não percebi qual o intuito daquele toque insistente e irritante.

 

Será para chamar à atenção? Será para acalmar? Será para ver quanto tempo uma pessoa resiste sem explodir? Será para passar energia? Ou será, ainda, para ver se a pessoa ainda está ali?

Pois em mim, o efeito que tem é o de querer zarpar dali imediatamente, em velocidade warp. Para além disto, exalta-me os nervos de uma tal maneira que até fico cheia de urticária e de pêlos em pé! E quanto a energia… se passarem um fósforo por mim, naquela altura, até faz labareda! Ah mas não sou eu a responsável pelos incêndios aqui do nosso pequeno país Tuga…

 

Mas o pior é que essas pessoas não se enxergam, ou pelo menos fingem. No meu caso, a tendência é para ir recuando para me afastar do toque dessas pessoas. Esses toques são ferros em brasa a tocar nos meus braços. Mas o pior é que quanto mais recuo, mais elas avançam para cima de mim com medo que eu fuja!

 

Sacudo os braços conforme me tocam e a minha voz parece possuída por uma raiva qualquer… mas o que continuo a achar mais incrível é a curta visão periférica e até central dessas pessoas, que são incapazes de ver o quão esse gesto irrita os outros.

 

É que nem todas as pessoas têm o dom de ter um toque agradável, balsâmico e calmante. Não. Isto não é um dom que se adquira, nasce connosco. E muito menos virá de pessoas que têm duas caras e que funcionam por interesses pessoais. Nevertheless (amo esta palavra!) consideram-se o supra sumo não sei do quê e - agora esta é demais! – julgam-se superiores aos outros quando elas próprias não passam de parasitas da sociedade!

 

Deixo aqui um conselho aos eventuais leitores que possam ter este “tique”: evitem o toque enquanto estão a falar com alguém. Tentem controlar-se. É que isso é tão irritantezinhooooo….

 

 

Take Two

 

 

Não há nada como começar um dia com agitação. Faz a adrenalina disparar e o coração acelerar e, por isso, faz-nos sentir alive!

 

Hoje fui mesmo a primeira a entrar no colégio. Mesmo indo beber café, cheguei ao colégio antes da hora prevista.

Ao abrir o portão sou interpelada por dois homens. Iam limpar os vidros, e tal, se podiam entrar. Eu nunca tinha visto aqueles dois seres na minha frente e nem tinha indicação de tal, por isso, fiz-lhes a vontade (o apetite ao trabalho era nulo): mandei-os voltar noutro dia.

 

Mas o pior é que no meio da conversa… O alarme dispara!!! Fui mais rápida do que uma flecha e vá de ir buscar o código para ir desligar o alarme. Mas é claro que estas coisas nunca correm bem logo à primeira: o raio da porta não queria abrir!

Finalmente, desliguei o alarme e dei descanso à vizinhança.

 

Mais uma entrega com direito a chilique da Maria-mau-feitio, mas hoje não teve direito a colo. Minha rica coluna que passou o fim-de-semana todo a queixar-se.

De resto, tive menos 2 ou 3 miúdos e as actividades que planeei para hoje foram cumpridas com êxito.

 

Aguardemos pela aventura de amanhã…